Sexta-feira, 28 de julho – Dia Mundial da Hepatite

Dr. Baruch S. Blumberg – 1925-2011 | Premio Nobel de Fisiología o Medicina 1976

Sexta-feira, 28 de julho será realizada mais uma vez a comemoração do Dia Mundial da Hepatite, estabelecida pela OMS em honra ao Baruch Blumberg (descobridor do Vírus da Hepatite B em 1967), o dia do seu nascimento.

Parece necessário comemora este dia, para mostras em nossa região e no mundo, que Hepatite Viral ainda é um grande problema de saúde, mas também para enfatizar que tem havido progressos notáveis nos últimos anos.

Isto é como ainda há cerca de 250 milhões de pessoas infectadas com hepatite B e 170 milhões infectados com a hepatite C, estes vírus sendo uma das principais causas de cirrose, câncer de fígado e razão para transplante de fígado em todo o mundo.

Além disso, apesar do grande avanço no diagnóstico, existem ainda desigualdades no acesso, especialmente com testes mais complexos que requerem estudos de biologia molecular.

Enquanto à prevenção das hepatites virais, além das medidas necessárias ambientais, de higiene y saneamento exigidas, só temos vacinas muito eficazes contra a hepatite A e B. Infelizmente estas não estão incluídas nos programas de vacinação universal em todos os países latino-americanos.

Respeito ao tratamento, é preciso ressaltar os grandes avanços em novas terapias orais contra a hepatite C, que nos permitem curar definitivamente mais de 95% dos pacientes tratados por 8­12 semanas. Hepatite B em vez só tem terapias supressivas que, embora conseguem controlar o vírus, não nos permitem curar definitivamente e, portanto, são prolongadas ou uso indefinido. Infelizmente os altos custos dessas novas drogas e falta de políticas de saúde em muitos países, ainda limita o acesso adequado a estes tratamentos.

Esperamos que a celebração do Dia Mundial da Hepatite deixe-nos mostrar a todos, especialmente para a América Latina, estas doenças muitas vezes silenciadas, tornar a comunidade científica, os governos de diferentes países, a indústria farmacêutica e as organizações de pacientes como um todo, permite eliminar estas doenças nas próximas décadas.

A Associação Latino-americana para o Estudo do Fígado (ALEH) com outras organizações internacionais tornou-se parte desta chamada e espera contribuir a partir do campo científico, o progresso nesta importante área da hepatologia.


Dr. Fernando Contreras
Presidente ALEH

Dr. Javier Brahm
Presidente Fundación ALEH